“Christovão, o Principal da Aldeia de Natuba e a persuasão fazem os Indios a este Governo”: as tropas Kiriri e a Política de povoação do “sertão de dentro” da América portuguesa (1677-1679)

Ane Mecenas

Resumo


Na segunda metade do século XVII, após a Restauração Portuguesa, intensificou-se o povoamento do sertão da América portuguesa. O processo, definido na documentação como “expansão para os caminhos de dentro”, visava à constituição de aldeamentos e à formação de alianças, com o intuito de garantir segurança no acesso comercial às rotas dos criadores de gado que seguiam da Bahia ao Piauí, bem como a constituição de um grupo de índios Kiriri que coibisse a formação de quilombos nas impenetráveis rotas do sertão. Ordens religiosas foram incumbidas da tarefa de organizar as aldeias, “disciplinar as almas” e fornecer mão de obra nas entradas para o sertão. Nesse espaço permeado pelo jogo de interesses de diversos grupos, o conflitos e a fluidez das alianças foram uma constante. Com base nesse contexto, o presente artigo visa analisar as estratégias de povoação do “sertão de dentro”  e o papel dos índios na formação desses espaços.


Texto completo:

PDF

Referências


BRASILEIRO, Sheila. Povo indígena Kiriri: emergência étnica, conquista territorial e faccionalismo. In: OLIVEIRA FILHO, João Pacheco de (Org.). A viagem de volta: etnicidade, política e reelaboração cultural no Nordeste indígena. Rio de Janeiro: Contra Capa, 1999, p. 173-96.

CHARTIER, Roger. A história cultural entre práticas e representações. Trad. de Maria Manuela Galhardo. Lisboa: Difusão Editora, 1988.

DOCUMENTOS Históricos da Biblioteca Nacional. Vol. LXIV. Rio de Janeiro: Typografia Baptista de Souza, 1944

GALINDO, Marcos. O governo das almas: a expansão colonial no país dos Tapuia (1651-1798). Tese de doutorado. Leiden University, 2004.

GOMES, José Eudes. As milícias D’El Rey. Tropas militares e poder no Ceará setecentista. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2010.

HEMMING, John. Ouro Vermelho. A conquista dos Índios Brasileiros. Trad. Carlos Eugênio Marcondes de Moura. São Paulo: EDUSP, 2007.

LEITE, Serafim. História da Companhia de Jesus no Brasil. Tomo V. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional. 1945.

_____. História da Companhia de Jesus. Tomo V, Livro I, Capítulo XV. São Paulo: Edições Loyola, 2004.

KIRIRI. Índios na visão dos índios Kiriri. Salvador: Governo da Bahia, 2002.

MAMIANI, Luiz Vincêncio. Catecismo da Doutrina Christãa na Lingua Brasilica da Nação Kiriri. Lisboa: Miguel Deslandes, 1698.

_________. Arte de Grammatica da Lingua Brasilica da naçam Kiriri. Lisboa: Miguel Deslandes, 1699.

NANTES, Bernardo de. Catecismo da Lingua Kariris, acrescentado de várias praticas doutrinaes e Moraes, adaptadas ao gentio e capacidade dos Indios do Brasil. Edicção fac-similar. Leipzig, [1709] 1896.

NANTES, Martinho. Relação de uma missão no Rio São Francisco. Brasiliana. Volume 368. Tradução e comentários de Barbosa Lima Sobrinho. 2 ed. São Paulo: Editora Nacional, [1706] 1979.

PERRONE-MOISES, Beatriz. Índios livres e índios escravos. Os princípios da legislação indigenista do período colonial (século XVI a XVIII). In: CUNHA, Manuela Carneiro da. História dos índios no Brasil. 2 ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1992, p. 115- 132.

POMPA, Cristina. O lugar da utopia: os jesuítas e a catequese indígena. Novos Estudos. N. 64. Campinas: 2002, p. 83-95.

_____________. Religião como tradução: missionários, Tupi e “Tapuia” no Brasil colonial. Bauru: EDUSC, 2003.

_____________. Cartas do Sertão. Catequese entre os Kariri no século XVII. Revista Anthropológicas, ano 7, vol 14 (1 e 2), 2003, p. 7-33.

PUNTONI, Pedro. A Guerra dos Bárbaros: povos indígenas e a colonização do sertão nordeste do Brasil (1650- 1720). São Paulo: Hucitec, 2002.

RICUPERO, Rodrigo. Poder e patrimônio: o controle da administração colonial sobre as terras e a mão de obra indígena. In: SOUZA, Laura de Mello; FURTADO, Júnia Ferreira; BICALHO, Maria Fernanda (Orgs.). O governo dos povos. São Paulo: Alameda, 2009, p. 355-370.




DOI: https://doi.org/10.14295/rbhcs.v10i19.465

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Revista Brasileira de História & Ciências Sociais - RBHCS

Qualis Capes B1 - A Nacional

ISSN 2175-3423

Universidade Federal do Rio Grande - FURG


A Revista Brasileira de História & Ciências Sociais utiliza  Licença Creative Commons Attribution 4.0

Creative Commons License

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia